Arrastão na Paulista

Ontem, na avenida Paulista, um ônibus foi invadido por uma horda de bandidinhos que promoveu um arrastão.

Horário?

11h da manhã.

DA MANHÃ!

Você acha mesmo que estamos vivendo em um país normal?

É normal um país com dezenas de milhares de assassinatos por ano, dezenas de milhares de vítimas de acidentes de trânsito por ano, dezenas de milhares de desaparecidos por ano?

Das duas, uma: ou você continua vivendo a sua vida de doido ou vem para a luta.

***

Maluf condenado

Fato 1: Paulo Maluf foi condenado a quase 8 anos de prisão e multa de R$ 1,3 milhão por superfaturamento em obras realizadas durante a sua gestão como prefeito de São Paulo. O valor do desvio, segundo o Ministério Público Federal, é superior a US$ 172 milhões.

Fato 2: Paulo Maluf inaugurou o Minhocão em 1971 quando foi prefeito da cidade pela primeira vez. Na época, o elevado recebeu o nome de Costa e Silva. No ano passado, o nome foi alterado para João Goulart.

Esses dois fatos revelam uma coisa: o avanço do comunismo. No primeiro, o valor desviado é dinheiro de pinga em comparação com os valores que os comunas desviaram na era Lula-Dilma. Isso torna Maluf um verdadeiro aprendiz de feiticeiro perto dos ratos vermelhos. No segundo fato, fica evidente que os comunistas estão vencendo a mais importante das lutas: a guerra cultural. Homenagearam um colega cuja intenção era conduzir o País para uma ditadura como as de Cuba, Venezuela e Coréia do Norte. Ninguém chiou.

Uma sociedade que não quer lutar já perdeu a luta.

***

Não veja TV, não leia jornais

A mídia de massa virou instrumento de controle social. Veja, por exemplo, a manipulação da opinião pública no recente episódio Temer-Wesley no qual a economia brasileira foi simplesmente jogada na lata de lixo.

Por isso, siga o que diz Olavo de Carvalho: “desligue a TV, cancele assinaturas de jornais”.

“Isso é MUITO MAIS IMPORTANTE do que eleger ou derrubar um presidente da República.”

Clique aqui para ler o Diário Filosófico publicado pelo Mídia Sem Máscara.

***

Uma noite de alegria e esperança

É muito difícil no Brasil de hoje, onde um dia é pior do que o outro, falar de esperança e alegria. Entretanto, na noite de ontem, vivemos – eu e mil pessoas -, uma noite de alegria e esperança.

Foi no lançamento do livro O Novo Povo de Deus, de Joseph Ratzinger, com a palestra do Padre Paulo Ricardo. O evento ocorreu na Igreja Nossa Senhora Auxiliadora, no Bom Retiro, em São Paulo, e foi iniciativa da Editora Molokai.

Logo que chegou, andando pela calçada, a figura – ao mesmo tempo discreta (pela simplicidade da batina) e indiscreta (pelo inusitado uso de batina nos dias de hoje) – do Padre Paulo Ricardo chamou a atenção de quem chegava para assistir a palestra. O homem foi abordado por diversas pessoas (eu mesmo fui um dos primeiros a cumprimentá-lo) que queriam ter contato com a famosa figura da internet. Quando o Padre ficou num canto do pátio conversando com José Alberto Corisco de Siqueira Campos, fundador da Molokai, as pessoas, à distância, olhavam hipnotizadas para a figura delgada e negra. “Delgada, negra e careca”, acrescentaria com bom humor o próprio Padre que foi embora sob a proteção de uma boina (também negra).

O público era formado principalmente por jovens, de ambos os sexos; havia diversos casais, havia crianças, havia algumas freiras e alguns padres. Havia seminaristas e pessoas pertencentes a movimentos da Igreja. A condição sócio-econômica da maior parte das pessoas era de remediada para pobre, o que prova que o novo Povo de Deus não usa roupas luxuosas nem vive nos palácios das elites brasileiras; essas estão mais preocupadas com o vai-vém da Bolsa do que com Nosso Senhor Jesus Cristo.

Em profundo silêncio, o público ouviu a palestra que retratou, de forma inédita para mim, a Igreja.

Após a palestra, uma longa fila se formou para cumprimentar o Padre. Era por esse contato que todos haviam ido até lá: para ficar perto do homem que tem provocado um verdadeiro terremoto no meio católico brasileiro e provado a infinita capacidade de renovação da Igreja pelo sopro do Espírito Santo. Nas épocas de crise, quando parece que tudo está perdido, eis que Deus envia alguém para pôr as coisas no lugar. Nas palavras do próprio Padre Paulo Ricardo, nos momentos de crise ao longo da história da Igreja, devemos perguntar: onde está o santo? Pode procurar, porque houve alguém que, naquele momento, se ergueu feito um gigante para liderar o renascimento da Igreja.

Eis o resumo do evento: uma noite de alegria e esperança na renovação da Igreja por meio de pessoas comuns, como eu e você, provocada pela presença de um homem de Deus. Alegria e esperança na certeza de que não estamos sozinhos, como o inimigo quer nos fazer crer.

***

FHC, por Ipojuca Pontes

Clique aqui para ler FHC – O rei da pilantragem, artigo de Ipojuca Pontes publicado no Mídia Sem Máscara.

Na vida política de FHC, onde apertar, sai carnegão. Ele está por trás de mazelas como a CPMF, a reeleição presidencial (em troca da qual foi denunciado por compra do voto parlamentar que lhe rendeu o segundo mandato), a armação do PROER, o sinistro Programa de Estímulo e Reestruturação do Sistema Financeiro (que livrou a cara do Banco Nacional do contraparente Magalhães Pinto, responsável pelo calote de US$ 6 bilhões aos cofres da Viúva) e a venda das ações da Vale do Rio Doce a preço de banana ao especulador George Soros, narcofinanciador de entidades que promovem o aborto, a legalização do consumo de drogas e a expansão globalista (entre elas, o Diálogo Inter-Americano, na qual milita FHC).

***

Era uma vez em Fátima

Era uma vez três criancinhas que viviam numa terra bem distante da nossa e numa época muito diferente da atual.

Era uma vez um anjo que as visitou e revelou que, à semelhança dos anjos da guarda de cada ser humano, os países também têm cada um o seu anjo – Eu sou o Anjo de Portugal.

Era uma vez uma Senhora mais brilhante que o sol, a Mulher do Apocalipse, a Mulher do Cântico dos Cânticos.

Quem é essa que avança como a aurora

Brilhante como o sol

Formosa como a lua

Terrível como um exército em ordem de batalha

Era uma vez uma mensagem de tristeza e dor: “(…) a Rússia vai espalhar os seus erros pelo mundo” – fome, guerras, homicídios, drogas, aborto, divórcio, eutanásia, ideologia de gênero, pedofilia, zoofilia, necrofilia, sequestros, estupros …

Era uma vez também uma mensagem de esperança: “No fim, o Meu Coração Imaculado Triunfará”.

Fátima é a mensagem da escolha.

De que lado você está?

*

Nossa Senhora do Rosário de Fátima, rogai por nós!

Nossa Senhora dos Prazeres, fundadora do Brasil nas batalhas de Guararapes, rogai por nós!

*

Sou a Senhora dos Prazeres.

Maria a Lúcia, em 13 de outubro de 1917, quando finalmente se identificou, instantes antes do milagre do sol

***