O vírus chegou de repente, destruindo tudo o que via pela frente – empregos e economias, rotinas e comodismos. Verdade seja dita, em meio a tantas barbaridades vimos algumas almas boas tentando aliviar o sofrimento do próximo com ações individuais. O comportamento geral, entretanto, foi de medo, egoísmo e safadeza.

Acredito que a maior virtude da peste chinesa foi ter revelado a verdadeira face do Ocidente. O comuna vírus revelou a face dos nossos líderes – uns ditadores, outros covardes; revelou também a fraqueza moral do povaréu – encastelados em sua segurança burguesa, o povo se acha eterno e foge da dor com a mesma sanha com que busca o prazer.

Outra grande ilusão que caiu foi a crença numa China amiga – nossa parceira, nossa cliente, nossa fornecedora. Nada disso, isso era pura ilusão e o Ocidente acordou de repente, com um susto, em meio a um pesadelo.

Acima de tudo, caíram as nossas próprias ilusões – a minha e a sua. Em nossa ingenuidade, tentávamos nos enganar acreditando que ainda havia cristãos sobre a terra. Quanta ingenuidade, como podemos ter estado tão cegos?!

Não, cara leitora, caro leitor, sejamos realistas. Cristo está abandonado. Eu e você somos apenas duas tênues chamas tremulando na escuridão que avança inexoravelmente.

* * *