Todo ano sempre começa com esperança. 2019, especialmente, vai começar com a esperança de um Brasil renovado, livre da praga do comunismo na Presidência da República após décadas de domínio esquerdista.

A Revolução Brasileira começou assim, bem quietinha e pacífica, bem mineirinha, com as primeiras tímidas manifestações conservadoras na avenida Paulista, no fim de 2014. A coisa tomou vulto até se tranformar nas maiores manifestações de rua da história da humanidade. Sempre aos domingos, com calma, sem desordens, bem ao gosto do tranquilo povo brasileiro;  o fim da escravidão, por exemplo, que, nos EUA custou uma guerra civil e centenas de milhares de mortes, no Brasil aconteceu sem um único tiro.

A Revolução Brasileira entra numa nova fase; agora, a bola está conosco. Seremos nós – mais do que Bolsonaro – que finalmente teremos a oportunidade de fazer uma nação de verdade. Teremos a oportunidade de construir uma nação cristã (que nunca foi), criar  uma identidade ao nosso povo (que nunca teve) e dar a vez para homens sábios (sempre desprezados por aqui). Bolsonaro é um só, e já aprendemos que essa história de salvador da pátria não existe.

Não nos iludamos; os comunas estão por aí, se fingindo de morto para garfar o coveiro. E os outros inimigos da nação – 171, malandros, sanguessugas, ladrões, canalhas etc. – continuam firmes em seu propósito de roubar o que puderem. Aguarde os próximos dias para, aos primeiros contratempos do governo Bolsonaro, você ver renascer esse bando de zumbis lutando por seus interesses.

A Revolução Brasileira está em nossas mãos – na minha e na sua: em nossas ações e em nossas orações.

Feliz 2019!

Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós!

***