No post anterior, mostrei como Lutero, ao inaugurar o Protestantismo, abriu a porta para todas as porcarias que vemos hoje em dia. Agora, vou dizer o que penso dos protestantes.

Penso que cada pessoa nasce dentro de uma condição bem definida e é bem difícil – mas não impossível – romper as amarras culturais, sociais e religiosas que as prende. Entretanto, mais do que pertencer a uma ou outra religião, o que importante é a sinceridade de vida na busca da verdade. Por isso, respeito a liberdade de escolha de quem quer seguir uma religião diferente da minha.

Com relação aos protestantes, devo dizer que tenho grande admiração por muitos deles. Silas Malafaia é um dos homens mais corajosos do Brasil. A bancada evangélica no Congresso tem ajudado muito o Brasil e feito vergonha aos católicos. Eu critico o Protestantismo mas não critico a atuação individual dos protestantes.

Critico, sim, a atuação dos católicos. Infiéis ao mandato de Cristo, são um bando de pamonhas batendo no peito e dizendo: “Nós temos a verdade”. Tolos! Deus é poderoso para transformar essas pedras em possuidoras da verdade. Os padres são um caso à parte. Fazem de tudo – de tudo! – para afastar as pessoas da Igreja. As escolas católicas são tudo, menos católicas.

Como dizia um amigo meu: “Quando você vir uma padaria chamada Santa Teresinha, pode ter certeza que o padeiro rouba no peso”.

Abra o olho, rapaz!

***