[Trecho do livro A História Sem Fim, de Michael Ende]

– Então também é verdade – quis saber Atreiú – aquilo que Gmork, o lobisomem, disse das criaturas aniquiladas de Fantasia? Que se transformam em mentiras no mundo dos filhos dos homens?

– Sim, é verdade – replicou a imperatriz Criança, e seus olhos dourados escureceram – Todas as mentiras foram outrora criaturas de Fantasia. São da mesma natureza… mas deformaram-se e perderam sua verdadeira essência. Porém, aquilo que Gmork lhe disse era apenas uma semiverdade, como era de esperar de uma semicriatura. Há dois caminhos para se passar pelas fronteiras entre Fantasia e o mundo dos homens, um certo e outro errado. Quando os seres de Fantasia se veem arrastados para o mundo dos homens desta maneira horrível, seguem o caminho errado. Mas quando os filhos dos homens vêm até nosso mundo, tomam o caminho certo. Todos os que nos vêm visitar aprendem coisas que só aqui podem apreender e regressam modificados ao seu mundo. Seus olhos se abrem, pois eles se veem em seu verdadeiro aspecto. Por isso, também podem olhar com novos olhos seu próprio mundo e os outros homens. Descobrem de repente maravilhas e segredos onde outrora só viam a monotonia do cotidiano. Era por isso que eles gostavam de vir até nós. E quanto mais rico e florescente se tornava o nosso mundo graças às visitas deles, menos mentiras havia em seu mundo, e mais perfeito também era esse mundo para eles. Tal como nossos dois mundos podem se destruir mutuamente, também podem se salvar.

*

A História Sem Fim, de Michael Ende com ilustrações de Eva Schöffmann-Davidov.

Editora Martins Fontes, selo Martins, 2020.

***