Consulta ao Portal da Transparência retorna os seguintes números de óbitos no Brasil:

Óbitos de março a maio (os meses mais impactados pela epidemia):

2015: 199.515 óbitos

2016: 234.133 (aumento de 17,35% em relação ao ano anterior)

2017: 243.044 (aumento de 3,81%)

2018: 259.303 (aumento de 6,69%)

2019: 305.043 (aumento de 17,64%)

2020: 333.093 (aumento de 9,2%) – Portanto, dentro da média anual dos últimos 5 anos.

Se estudarmos apenas os meses de abril e maio, nos quais o impacto da epidemia foi maior:

2015: 134.574 óbitos

2016: 155.441 (aumento de 15,51%)

2017: 160.112 (aumento de 3%)

2018: 176.847 (aumento de 10,45%)

2019: 211.454 (aumento de 19,57%)

2020: 231.778 (aumento de 9,61%) – Portanto, igualmente dentro da média anual.

Considerando o período anual que vai de junho de um ano a maio do ano seguinte:

junho de 2015 a maio de 2016: 849.119 óbitos

junho de 2016 a maio de 2017: 927.359 (aumento de 9,21%)

junho de 2017 a maio de 2018: 996.275 (aumento de 7,43%)

junho de 2018 a maio de 2019: 1.161.549 (aumento de 16,59%)

junho de 2019 a maio de 2020: 1.246.415 (aumento de 7,31%) – Nesse caso, abaixo da média anual.

Atualizado em 19 de junho de 2020: leia Análise da estatísticas do coronga II.

* * *