Ao tomar posse ontem como presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luis Roberto Barroso disse:

“A falta de educação produz vidas menos iluminadas, trabalhadores menos produtivos e um número limitado de pessoas capazes de pensar criativamente um país melhor e maior. A educação, mais que tudo, não pode ser capturada pela mediocridade, pela grosseria e por visões pré-iluministas do mundo. Precisamos armar o povo com educação, cultura e ciência.”

Seria necessário um livro para analisar a visão de mundo de Barroso exibida nesse simples parágrafo. Vamos, então, nos reter a um único trecho do pronunciamento – “Precisamos armar o povo com educação”.

Que educação, Barroso? A educação petista que colocou os estudantes brasileiros na rabeira do exame PISA? A educação de dona Dilma – que o alçou ao STF – que mal conseguia se expressar?

Muito mais certo está o nosso presidente Bolsonaro que quer ver o povo armado com arma e chumbo porque um povo armado se livra da tutela do Estado e tem liberdade de pensamento e ação. Bem diferente estaria sendo o comportamento do povo brasileiro se ele estivesse armado – nenhum embaixador chinês estaria manipulando os barbantes das suas marionetes brasileiras.

O povo não seria – como está sendo – um bando de imbecis dóceis prontos a serem transformados em escravos chineses.

* * *