Tradução do artigo Do as I did – an open letter to Saddam Hussein’s generals, de Ion Mihai Pacepa, publicado no National Review em 22 de março de 2003.

Apelo a vocês, generais da Guarda Republicana do Iraque, para seguirem o meu exemplo e virarem as armas contra o tirano do seu país. Garanto que vocês não se arrependerão de terem dado esse passo patriótico.

A história se repete e, se vocês puderem viver duas vidas, terão a chance de vê-la se repetindo com os seus próprios olhos. Na minha outra vida, eu também servi a um ditador terrorista, que transformou o seu país em um monumento a si mesmo e criou a própria dinastia. Nicolae Ceausescu foi um Saddam romeno, que matou o seu povo de fome para construir os seus palácios e gastou a riqueza do país produzindo armas de destruição em massa para preencher os seus sonhos megalomaníacos. Como vocês, eu tinha uma alta posição no topo da sociedade do meu país quando rompi com Ceausescu: general de duas estrelas, conselheiro pessoal do presidente, chefe em exercício do serviço de espionagem e secretário de estado do ministério do interior. Como vocês, eu também tinha uma vida privilegiada na comitiva do ditador e qualquer necessidade material era generosamente provida pelo governo. Mas, finalmente, a perspectiva de ser julgado pela história como cúmplice de um dos mais desprezíveis ditadores do mundo me convenceu a largar tudo.

Mas, neste histórico momento do seu país, peço a vocês, meus colegas generais, que sigam os meus passos e garanto que jamais se arrependerão. No dia 28 de julho de 1978, quando rompi com o comunismo, faltavam três meses para eu completar 50 anos de idade mas eu jamais olhei para trás. Eu sabia que não seria fácil começar uma vida nova do zero sem nenhuma outra posse que a roupa do corpo, mas o sonho de finalmente ser um homem livre e viver em uma sociedade livre era irresistível. Hoje, tenho uma vida maravilhosa e o meu país de nascimento está se tornando uma democracia florescente. Tenho orgulho de ter feito o que podia para ajudar a Romênia se livrar dos males do seu passado e trihar o seu caminho na direção ao mundo moderno.

Meus colegas generais, façam como eu fiz. Rompam com o seu tirânico ditador antes que seja tarde demais. Exponham ao mundo os crimes de Saddam contra a humanidade como eu fiz com os crimes cometidos por Ceausescu. Prendam o seu tirano fugitivo como os meus colegas generais prenderam Ceausescu em dezembro de 1989 quando ele se escondeu numa tentativa de escapar da onda revolucionária que varria os ditadores comunistas da face da Europa Oriental. Façam Saddam pagar pelos seus crimes como Ceausescu pagou pelos dele – com a vida.

Como a Romênia, o Iraque tem história e cultura antigas e orgulhosas. Ambos os países foram conquistados pelo Império Otomano, ambos se tornaram reinos nobres e ambos foram dominados por ditadores desprezíveis no século passado. Juntem-se às forças de coalização lutando contra Saddam Hussein e vocês também terão um lugar de honra na história do seu país.

Ion Mihai Pacepa é o oficial de mais alta patente que desertou do bloso soviético.

* * *