O grupo APT41 do governo chinês atacou mais de 75 organizações em todo o mundo desde o início do ano. A campanha usou vulnerabilidades de roteadores e serviços em nuvem recentemente descobertas e se estendeu por todos os setores da economia. Os pesquisadores da empresa líder em segurança FireEye destacaram que não há provas claras da intenção dos hackers chineses; eles podem estar buscando informações sobre a CODIV-19 ou sobre a guerra comercial EUA-China. Tudo indica que os hackers instalaram backdoors [acessos secretos] para uso futuro.

Este grupo de hackers está entre os mais qualificados e prolíficos do mundo. É conhecido por sua agilidade em se aproveitar de vulnerabilidades recentemente descobertas e atua desde 2012 visando principalmente o ramo industrial. Ao que se sabe, nasceu de dois chineses especializados em hackear jogos online para clientes da dark web que foram cooptados pelo governo. De uma forma geral, a equipe tende a desenvolver atividades alinhadas ao plano econômico de cinco anos da China.

Com informações do CPO Magazine.

***