A exemplo da Apple e Qualcomm, a gigante chinesa projeta os seus chips mas não os fabrica. Todas as três utilizam o serviço da Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), a maior fabricante de chips do mundo. Entretanto, a Huawei é considerada uma ameaça à segurança nacional dos EUA por suas ligações com o Partido Comunista Chinês (PCC). Independentemente das pressões do governo Trump, a Huawei caminha para se tornar a segunda maior fabricante de celulares do mundo.

Mas Trump tem uma carta na manga. A Foreign Direct Rule permite que os EUA controlem empresas estrangeiras que fabriquem produtos com mais de 25% de conteúdo americano em valor. Para sorte da Huawei, a TSMC está abaixo desse limite. O governo americano, entretanto, está lutando para diminuir esse limite para 10%. Assim, a TSMC seria proibida de fornecer os chips à Huawei.

A Huawei, por isso, está mudando a produção de chips para a Semiconductor Manufacturing Internacional Corporation (SMIC), a maior fabricante de chips da China. A SMIC, entretanto, não tem o nível de sofisticação da TSMC, o que pode ser um problema para os aparelhos topo de linha da Huawei.

Com informações da phoneArena.

***