Stay-at-home é o nome de um método de ação não violenta descrita por Gene Sharp no livro Da ditadura à democracia – o caminho para a libertação. O objetivo de Sharp, ao escrever esse livro, foi ensinar métodos – 198 ao todo – que podem ser usados pela população de um país para se livrar do seu ditador. Essa técnica é muito simples e consiste, como o próprio nome diz, em todo mundo ficar em casa, paralisando o país e deixando o ditador desorientado.

Infelizmente, essa técnica foi invertida pelos chineses e está sendo usada contra nós, brasileiros, hoje.

O PCC – Partido Comunista da China (organização criminosa que faz a nossa homônima paulistana parecer aprendiz de feiticeiro), cooptou pelo ouro os governadores brasileiros amotinados contra Bolsonaro e eles estão usando o Stay-at-home para fazer o caminho inverso desejado por Sharp – da democracia para a ditadura. O país está paralisado e nós, o povo, não sabemos o que fazer.

Na luta contra o vírus chinês, ficar todo mundo em casa não adianta nada, como provaram Japão, Coréia do Sul, Holanda, dentre outros, que rejeitaram a quarentena horizontal e adotaram o distanciamento social e o isolamento apenas dos grupos de risco. A própria China não adotou a quarentena horizontal; ela isolou somente a província onde surgiu o vírus e o resto do país continuou funcionando normalmente.

Por isso, temos de lutar – cada um à sua maneira e com as suas armas  – para romper o confinamento e voltar à vida normal o mais rápido possível.

– Com informações de Sara Winter. (Se tem alguém no Brasil que conhece o inimigo, é essa menina.)

***