Livro: Demencia Digital – El peligro de las nuevas tecnologías (Ediciones BSA, 2013), tradução espanhola do livro Digitale demenz, do neurocientista alemão Manfred Spitzer.

Tradução da contracapa

Os políticos da área de educação gostam de louvar a elevada utilidade didática dos meios digitais. E os grupos de pressão das empresas de software esfregam as mãos cheias de ofertas sensacionais que abrirão aos nossos filhos as portas de um futuro promissor.

Hoje nada funciona sem computadores, smartphones e internet. Entretanto, tudo isso implica em perigos imensos pois o seu uso intenso debilita o nosso cérebro. O tempo que as crianças e adolescentes passam usando meios digitais é mais do que o dobro do tempo gasto na escola. As consequências são transtornos de linguagem e de aprendizagem, déficit de atenção, estresse, depressão e uma crescente disposição à violência.

À vista desse preocupante estado de coisas, o doutor Spitzer recorda aos pais, professores e políticos a sua obrigação. Expõe informações objetivas sobre os riscos e exige dos pais a imposição de limites ao passatempo digital dos filhos para que não sejam arrastados à demência digital e pelo bem do seu próprio futuro.

Demencia Digital é um livro de atualidade raivosa. Um ensaio alarmante mas necessário.

***