O general Ion Mihai Pacepa, o desertor de mais alta patente do bloco soviético, escreveu: “O regulamento da KGB só permitia o uso de fotocópias dos documentos falsificados para evitar o exame meticuloso do original.” (artigo A KGB e o Assassinato de JFK)

No atual mundo digital, essa tarefa é infinitamente simplificada. Greenwald divulgou o que ele alega serem diálogos entre Sérgio Moro e procuradores da força-tarefa da Lava Jato.

Os originais? Estão no ciberespaço. Vá lá e procure.

***