“Mataram o Simião e o Aduvaldo…” E eu ralhei: – “Basta!” Mas, sobre o instante, virei: – “Ah, e o Fafafa?” O que ouvi: – “Fafafa, não. Fafafa está é matando!…”

Grande Sertão: Veredas

*

Muita gente acha que o comunismo está morto. Nada disso! O comunismo está é matando… mata na Rússia, na China, em Cuba, na Venezuela e no Brasil – mata pelo aborto, pelo incentivo ao crime promovido pelo Estatuto do Desarmamento e pelo ECA. Ninguém mata como comunista.

No post anterior defini o que é o comunismo: uma mentira anti-cristã baseada na criação de antagonismos e sustentada por uma rede de relacionamentos que conduz à doença mental e ao homicídio.

Antes de detalhar cada uma dessas afirmações, vou provar que o comunismo está mais vivo do que nunca já que muita gente acha que ele acabou com a queda do Muro de Berlim.

Tudo começou quando Marx inventou a luta de classes – patrões versus empregados. Mas isso não deu muito certo já que Marx se esqueceu de combinar a jogada com os empregados e eles preferiram trabalhar e ganhar dinheiro para um dia serem os patrões. Para certos projetos, entretanto, nunca faltam conselheiros, nem ajudantes (obrigado, Cervantes) e, assim, os filósofos da Escória, digo, Escola de Frankfurt (fundada na década de 1920), deram uma mão para Marx – a revolução não seria feita pelo proletariado mas pelo lumpemproletariado: os marginais, os bandidos, os drogados, as prostitutas e os desajustados de toda a espécie. Esses seriam os agentes da destruição. Antonio Gramsci, por sua vez, descobriu que o importante é a hegemonia cultural – dominar todos os espaços de modo que toda a sociedade se torne comunista sem sequer saber. Em outras palavras, exatamente o cenário que vemos hoje.

O comunismo vai muito bem, obrigado! Quem não vai bem somos nós.

Além disso, após a queda da União Soviética, não houve nenhum julgamento dos antigos líderes comunistas. Eles continuaram no poder, como se nada tivesse acontecido. O oficial de mais alta patente que desertou do bloco soviético, Ion Mihai Pacepa, no artigo Comunismo e Nazismo: dois monstros idênticos, escreveu:

No ano 2000, alguns dos meus antigos colegas da KGB tomaram o Kremlin e transformaram a Rússia na primeira ditadura de inteligência da história. Mais de seis mil antigos agentes da KGB estão nos governos federal e local russos. Seria como tentar democratizar a Alemanha com os oficiais da Gestapo no comando.

Situação semelhante ocorre em Cuba, China e Coréia do Norte – só para citar os exemplos mais emblemáticos – onde a nomenklatura continua a mesma.

Outra prova da força do comunismo: no Brasil, em 1990, Lula e Fidel Castro fundaram o Foro de São Paulo, união de organizações de esquerda para restaurar o comunismo na América Latina (na época, em baixa por causa da queda da União Soviética). O Foro de São Paulo reúne partidos políticos, terroristas e narcotraficantes, num total de mais de 200 organizações. Se você não acredita, digite na busca do YouTube: “Lula Foro de São Paulo” e “Zé Dirceu Foro de São Paulo” e veja com os seus próprios olhos. A mídia de massa esconde o fato porque a classe jornalística é dominada por comunistas.

Como a mídia não é confiável, a solução é se informar por meio de pessoas independentes como o Padre Paulo Ricardo e o filósofo Olavo de Carvalho.

E por meio deste blog, claro!

*

Brasil acima de tudo, Deus acima de todos!

***