Você já reparou que, no Brasil, o culpado é a vítima?

Foi assaltado? Ninguém mandou ostentar.

Bateu o carro? Por que não tomou cuidado com a cratera, imprudente?

Está sem dinheiro? Ninguém mandou ser trouxa.

Garfaram o seu celular? Quem mandou usar na rua?

Está desempregado? Por que não prestou concurso, idiota?

Estupro? Ninguém mandou provocar.

Tomou facada? Onde já se viu um político fazer corpo-a-corpo com os eleitores, em demonstrações espontâneas inéditas na política mundial, exposto a alcatéias de lobos solitários insufladas por hordas de esquerdistas amadas por jornalistas defendidas por advogados caríssimos bancados por filantropos anônimos?

***