A inteligência pode deixar você pobre e a burrice pode deixar você rico

Olavo de Carvalho

Essa frase de OdC choca nesses tempos em que reina o deu-dinheiro e em que a inteligência costuma ser associada à riqueza.

“Se você se julga tão inteligente, por que ainda não está rico?” diz o mongo.

Então, antes de mais nada, vamos definir o que é inteligência.

“A inteligência é a capacidade de apreender a verdade” diz OdC.

Em outras palavras, a inteligência não é a capacidade de obter um diploma, passar no vestibular ou num concurso, nem fazer cálculos complicados, muito menos enriquecer. Inteligência é a capacidade de distinguir o verdadeiro do falso.

Dito isso, vamos a alguns fatos.

Fato 1 – Na (graças a Deus) extinta União Soviética, os ricos pertenciam à nomenklatura. Ora, pertencer a um grupo de assassinos não é propriamente sinal de inteligência. Por outro lado, Aleksandr Solzhenitsyn – esse, sim, inteligentíssimo – foi prisioneiro nos campos de concentração soviéticos.

Fato 2 – No Brasil contemporâneo, boa parte dos ricaços (não todos) vive de fazer negócios – muitas vezes, espúrios – com o governo. Não se pode dizer, por exemplo, que os empresários e políticos pegos pela Lava-Jato sejam muito inteligentes. Por outro lado, quantas pessoas realmente inteligentes – conhecedoras da verdade, conhecedoras do que é certo – não foram preteridas nesse sórdido mundo de negociatas exatamente por serem honestas? No Brasil de hoje – o país do incentivo ao crime, das rasteiras, da facada nas costas, o país onde ninguém confia em ninguém – quantas pessoas inteligentes não são boicotadas por saberem que a sua alma e o seu destino eterno valem mais do que dinheiro?

Fato 3 – Thomas More, Chanceler da Inglaterra, perdeu o cargo – e a cabeça – por ser fiel à verdade. Ele e inúmeros mártires cristãos.

Contra fatos, não há argumentos.

A inteligência pode deixar você pobre. A burrice pode deixar você rico.

***

Anúncios