O Padre (?) João Batista de Almeida transformou a Missa de Pentecostes de Aparecida em um evento comunista de apoio ao companheiro (dele) Lula.

Padre? Padre comunista é uma contradição em termos. Não vou chamá-lo de padre porque o comunismo supõe a excomunhão automática.

Só tem uma explicação para a homenagem. Eu acho que João Batista confundiu as línguas de fogo que desceram sobre os discípulos com o fogo dos alcoólatras e resolveu homenagear o alcoólatra Lula.

Só faltou João Batista dizer: O senhor Lula esteja convosco!

E a horda responder: Ele está no meio de nós!

Não, não está. Está em Curitiba, onde nem o fogo da cachaça esquenta o frio.

Com informações de Bernardo Küster.

PS – Küster divulgou desnecessariamente o fone do Santuário de Aparecida – (012) 3104 1000. Não havia necessidade disso porque qualquer pessoa consegue o fone (012) 3104 1000 facilamente pela internet. Se você ligar lá – (012) 3104 1000 -, não ofenda o atendente que pode ser um mortadela mas também pode ser um pião que nem eu e que nem voce lutando pelo pão de cada dia. Nada de mandá-lo tomar dollynho. Nada de xingar João Batista de Almeida de sacerdote de satanás nem padre de passeata. Nada de chamar a celebração de missa vermelha ou missa negra. Manifeste-se educadamente! Lembre-se: (012) 3104 1000.