Foi em Vilha Velha, no Espírito Santo. O nóia arremessou a barra de aço contra o carro de uma mulher que passava pela rua.

Os drogados são tratados pela mídia e por parte do poder público como coitadinhos vítimas da sociedade – os culpados somos eu e você. No caso, a culpada certamente foi a motorista.

O problema das drogas só será resolvido quando forem atacadas as duas pontas: o Foro de São Paulo (que produz e distribui as drogas) e os usuários (criminosos que fazem uso de substâncias que induzem ao comportamento criminoso).

***