A população de Angra dos Reis se nega maciçamente a tomar a vacina contra a febre amarela.

Parece que a orientação das autoridades e os apelos da mídia tiveram efeito oposto ao desejado. Talvez porque nenhuma autoridade tenha sido vista tomando a vacina, como costuma acontecer por ocasião de tais campanhas, ou porque ninguém acredita mais na mídia.

Uma repórter da Globo News – cujo nome esqueci e não pretendo lembrar (obrigado, OdC) – dizia, atarantada, que a população precisava acreditar nas autoridades e na mídia e não dar bola para tantos boatos que circulam na internet (ora, ora… não devemos acreditar na internet, a última fronteira da liberdade humana; acreditemos então na Globo).

Os apelos da repórter me fizeram lembrar uma música de Raul Seixas (A Bahia é o berço da música brasileira; de lá vem tudo o que é bom ou ruim; desde Dorival Caymmi e Elomar, passando por Raul Seixas e João Gilberto, até chegar nos maiores representantes da bunda music como… bom, melhor não citar nomes para não despertar a fúria de algum dos meus 3 leitores ou ganhar um belo processo nas costas. O fato é que a excepcional musicalidade baiana deriva, segundo Gilberto Freyre, da forte tendência artística dos negros sudaneses destinados àquele estado). Mas a frase do roqueiro baiano é:

Eu sou astrólogo; vocês precisam acreditar em mim

Sim, precisamos acreditar na Globo, precisamos acreditar na mídia, precisamos acreditar nas otoridades, que tanto bem têm feito ao Brasil.

Mas a população já sacou qual é a deles e grita em uníssono:

Krig-ha, bandolo!

***