O governo australiano quer que os sacerdotes denunciem casos de abuso sexual ouvidos no segredo do sacramento da Confissão.

Ora, ora… porque o governo australiano não vai atrás dos comunas? Foram os comunas que criaram os abusadores, foram os comunas (Stálin) que introduziram a pedofilia na Igreja, foram os comunas que inventaram a revolução sexual.

(Muita gente discute a diferença entre comunismo e socialismo. Para mim, a discussão Comunismo vs Socialismo é mero diletantismo.)

A revolução sexual começou assim: a repressão ao instinto sexual é o grande mal do mundo. A Igreja é opressora. Abaixo a Igreja, abaixo a repressão, sexo livre pra todo mundo. Êba!

Décadas após os sutiãs queimados em praça pública, o que vemos é bem o oposto de liberdade: famílias destruídas, filhos sem pai, mulheres histéricas e o movimento sexual indo de vento em pôpa, fazendo cada vez mais adeptos e – ele sim, não a Igreja – oprimindo cada vez mais. Agora que a união homossexual já está aprovada, os comunas levam a frente de batalha a um novo patamar: a pedofilia.

Depois da pedofilia, virá a zoofilia e, por último, a necrofilia.

Por que o governo australiano não ataca isto? Por que o Estado moderno é cúmplice dos comunas. E é muito mais fácil atacar a Igreja.

***