O clássico livro de Stefan Zweig foi lançado no início de agosto de 1941, com prefácio de Afrânio Peixoto. Zweig era escritor mundialmente consagrado e a obra foi lançada quase simultaneamente em português (Brasil e Portugal), castelhano, francês, inglês, alemão e sueco – uma proeza para a época.

Zweig esteve pela primeira vez no Brasil em 1936, de passagem para a Argentina. O interesse do austríaco pela América do Sul foi despertado pelo livro Meditações Sul-Americanas, do filósofo alemão Hermann von Keyserling. Sorte nossa.

Para comemorar o aniversário de Brasil – País do Futuro, nada melhor que (re)lê-lo..

***

Anúncios