Jesus Cristo estava reunido com os discípulos. Nesses momentos em que estava sozinho com sua trupe, Cristo exercia na plenitude o Seu grande dom de alegrar as pessoas. No meio da algazarra, perguntou Quem dizem os homens que Eu sou?

– João Batista.

Risos.

– Elias.

Mais risos.

– Jeremias ou um dos profetas.

Muitos risos.

No meio da balbúrdia,  Cristo, que dominava como ninguém a arte de trazer às conversas mais corriqueiras as mais altas idéias, disparou E vós, quem dizeis que Eu sou?

Êpa! Esta é a pergunta fatal, a pergunta que todos teremos que responder um dia.

Pedro, com o seu espírito deixa-que-eu-chuto, não vacilou e respondeu Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo. Com a resposta, recebeu diretamente da boca de Nosso Senhor Jesus Cristo a promessa de ser – nada mais, nada menos – o porteiro do Reino dos Céus.

Isso me lembra a piada contada pelo Padre Pio sobre a chegada de Santo Ivo, padroeiro dos advogados, ao céu.

Lá chegando, Santo Ivo foi logo perguntando a São Pedro na portaria:

– Você, quem é?

– Sou o porteiro; sou eu quem controlo a entrada das pessoas.

– Mas que títulos você tem para exercer tão nobre atividade?

– Título? Que título? Mal sei ler e escrever. Fui um simples pescador…

Santo Ivo, inconformado com a falta de preparo intelectual de Pedro, levou a causa ao tribunal de Deus e argumentou que tão importante cargo exigia melhor preparação. Deus perguntou então a Pedro o que ele tinha a dizer. Pedro respondeu candidamente a Deus:

– A única coisa que posso dizer é que fui empossado diretamente por Seu Filho.

E Deus então sentenciou, para tristeza de Ivo:

– Bom, se foi o Meu Filho que decidiu, Eu não posso contradizê-lo.

E Deus ganho de causa a Pedro.

Ao saírem do tribunal, Pedro chamou Ivo a um canto e disse baixinho:

– Você foi o primeiro e último advogado a entrar aqui!

Parece que o Padre Pio não gostava muito de advogados…

***

Anúncios