O episódio da condução coercitiva do pastor Silas Malafaia faz lembrar a apreensão ilegal dos folhetos contra o aborto de Dom Luiz Gonzaga Bergonzini ocorrido nas eleições de 2010.

Naquele ano, a Polícia Federal – na página mais negra da sua história – apreendeu o documento Apelo a Todos os Brasileiros e Brasileiras o qual orientava os católicos para não votarem em abortista. Os esquerdistas, ao mandarem apreender os folhetos, passaram recibo e vestiram a carapuça. Foi um crime eleitoral que culminou na “eleição” de Dona Dilma, a Usurpadora. Quatro anos depois, ela cometeu novo crime eleitoral por meio da apuração secreta das eleições 2014 – mentiu na primeira eleição, mentiu na segunda. Comunista é assim mesmo, mentiroso de nascimento.

Só o tempo dirá o que há por trás da condução coercitiva de ontem.

***

Anúncios