Um desavisado que leia o Evangelho de hoje vai achar que o Cristianismo é uma religião de masoquistas. O texto diz “sereis presos e perseguidos; sereis entregues às sinagogas e postos na prisão; sereis levados diante de reis e governadores por causa do Meu nome”, “sereis entregues até mesmo pelos próprios pais, irmãos, parentes e amigos. E eles matarão alguns de vós”.

Caramba! A julgar por essas frases, o Cristianismo não devia ter sequer um seguidor.

Acontece que, no fim do texto, Jesus diz “É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!” E, para demonstrar a veracidade da Sua promessa, Ele mesmo, após ter sofrido, padecido e ter sido sepultado, ressuscitou ao terceiro dia e apareceu aos discípulos.

Muita gente, infelizmente, não tem a nossa fé e nega a Ressurreição. Nenhuma novidade há nisso; muitos dos contemporâneos de Cristo também a negaram.

Por exemplo, no caminho de Emaús, Cléofas disse a Jesus:

– Algumas mulheres foram ao sepulcro e voltaram dizendo que Ele está vivo. Ha! Você sabe como são as mulheres!

Não é exatamente isso que está na Bíblia, mas foi exatamente isso que Cléofas quis dizer.

Santo Agostinho, comentando a passagem em que os judeus subornaram os sentinelas para que mentissem dizendo que os discípulos haviam surrupiado o corpo morto de Jesus enquanto eles dormiam, escreveu:

– Como é que é!? Vocês apresentam testemunhas adormecidas?

Sorte nossa que temos fé e logo logo – 50 anos? 50 minutos? – estaremos no céu desfrutando da companhia de Jesus para sempre.

***

Anúncios