O Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz impetrou, no dia 11 de outubro de 2005, um habeas corpus em favor de Geovana Gomes Leneu, uma criança deficiente portadora da síndrome body stalk, condenada ao aborto eugênico por uma sentença de um juiz da 1a vara criminal de Goiânia. A criança nasceu, viveu 1h45 minutos e faleceu; recebeu um nome e foi sepultada, destino bem melhor do que ser jogada no lixo hospitalar.

Lamentavelmente, o Padre Lodi foi condenado ontem pelo Superior Tribunal de Justiça por danos morais.

Saiba mais lendo a Nota sobre minha condenação por danos morais no STJ.

***

Anúncios