Ontem, em Curitiba, dois estudantes de uma escola invadida se pegaram a facadas porque estavam doidões. Um morreu e o outro virou assassino. Não importa o que diga a lei dos homens, ele virou um assassino para a eternidade. “Você tem consciência de que está condenando à morte não apenas este homem mas também todos os descendentes que ele teria daqui até o fim do mundo?” perguntavam os judeus a quem acusasse outro judeu de um crime cuja sentença era a morte. Essa pergunta faltou a Judas no processo de Jesus.

Muitos defensores da liberação das drogas acham que o consumo de drogas é problema de cada um, ninguém tem nada a ver com isso.

Acontece que ninguém é uma ilha, Deus nos fez seres sociáveis, e um ser humano é afetado pelo outro, para o bem ou para o mal.

Agora, os esquerdistas têm nas mãos o que queriam – um cadáver.

O que vão fazer com ele eu não sei.

***

Anúncios