A mais importante das aparições de Fátima foi a do dia 13 de julho quando Maria: 1) revelou o famoso segredo às crianças; 2) mostrou o verdadeiro inimigo – “… a Rússia vai espalhar os seus erros pelo mundo”; 3) deu a solução – “… virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração”; 4) indicou quem pode nos ajudar – “… só Ela (Maria) lhes poderá valer” – e 5) garantiu a nossa vitória – “… por fim, o meu Coração Imaculado triunfará”.

Os erros da Rússia são mais do que conhecidos: a disseminação das drogas para fazer dinheiro e aniquilar as nações, a criação da Escória, digo, Escola de Frankfurt (origem de toda a agenda esquerdista da guerra cultural – aborto, divórcio, incentivo ao crime e à violência, sex lib e todas as suas variantes), terrorismo islâmico, teologia da libertação… Nos dias de hoje, há rumores de guerra contra os EUA, notícias sobre armas cada vez mais perigosas, guerra cibernética e mais uma coleção de notícias ruins.

O que mais espanta nos acontecimentos de Fátima é a paralisia dos homens de Deus. Já se passaram 99 anos e nove Papas (Bento XV, Pio XI, Pio XII, São João XXIII, Beato Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II, Bento XVI e Francisco) e a consagração da Rússia ainda não foi feita.

Esse é o grande mal do nosso tempo: a paralisia dos bons. A Europa está de joelhos frente ao comunismo e ao Islã, fazendo vergonha a São Bento e São Bruno, Santa Brígida da Suécia e Santa Catarina de Sena. Houvesse hoje homens e mulheres desta estirpe, a Europa não estaria no sufoco em que está.

Não foi assim no nosso País? Não ficou todo mundo vendo a expansão do comunismo e achando bonito porque estava ganhando dinheiro? Quantas vozes se levantaram contra? Já se vê que nós, brasileiros, só sairemos do enrosco em que estamos se tomarmos nós mesmos – o povo – o nosso destino nas mãos. A depender dos nossos líderes – líderes? Que líderes? – estamos todos lascados.

Os Bentos e os Brunos, as Brígidas e as Catarinas teremos que ser nós mesmos. A luta pelos ideiais se chama santidade; querer que os outros façam o serviço no nosso lugar se chama… preguiça? Malandragem? Hipocrisia?

Hein?!

***