Os abortistas dizem que matar um bebê na barriga da mãe não é assassinato porque o bebê não é bebê. Não é uma vida. Afinal, segundo eles, o que é a vida? Tudo é vida, bebê, adulto, frango, tomate… é tudo igual! Tanto faz abortar ou pisar numa formiga.

Então, tudo começa no aborto. Em seguida, vem a eutanásia. Depois, o suicídio assistido. Em seguida, o assassinato, pelos poderosos, de grupos escolhidos: judeus, anões, ciganos, negros, gordos demais, magros demais, altos demais, baixos demais, velhos demais, jovens demais… quem pode mais chora menos.

Aborto é a lei da selva, a lei do cão.

Conversa de aborto é inadmissível. Todo abortista para mim é um monstro, é um criminoso. Eu não converso com abortista. E advirto: abortista, não chegue perto de mim para defender aborto que você corre o risco de levar um tapa na cara, que é a melhor coisa que você merece. Abortista não é gente, abortista é monstro. Abortista é sociopata, é um tipo antissocial perigoso. Não aceite abortista na sua casa – mande para a rua! – Olavo de Carvalho

***

Anúncios