Os comunistas podem comemorar a morte de mais uma cristã.

Os seus colegas chineses assassinaram Ding Cumei, esposa do pastor Li Jiangong, quando ambos tentaram impedir a demolição da igreja de Beitu, região central da China. Eles foram jogados em um buraco com a escavadeira e enterrados vivos. O pastor escapou mas a esposa dele faleceu.

Desde 2013, quando Xi Jinping assumiu a presidência, o Cristianismo tem sido tratado como “uma ameaça política e de segurança para o regime” segundo Bob Fu, presidente da ONG China.

*

Leia no jornal O São Paulo, edição de 4 a 10 de maio.

***

Anúncios